O mais tradicional desfile de carnaval de rua de São Paulo | Carnaval 2016 | 31/01/2016

Roda de Samba - 06/2006 - Grandes Sambas das Copas

O futebol, no Brasil, já rendeu muita música. Há controvérsias sobre qual teria sido a primeira da série. Há quem defenda "Flamengo", de Bonfiglio de Oliveira, gravada em 1931. Na verdade, apesar da torcida rubro-negra, o objetivo de Bonfiglio era homenagear o bairro e não o time carioca.

O crítico musical e pesquisador José Ramos Tinhorão puxa a data bem mais para trás: entre 1913 e 1915, Borges Teixeira teria tido a primazia com "Amadores da Bola". Mas quem já ouviu ou conhece tal canção?

Então, parece que a bola fica mesmo com o conhecido choro "Um a Zero", de Pixinguinha e Benedito Lacerda. Foi composto em 1919 para comemorar a vitória do Brasil sobre o Uruguai que deu à seleção o primeiro título internacional: o de campeão sul-americano. No mesmo embalo de euforia, os compositores Luiz Nunes Sampaio e Feijoada fizeram "Goal (assim mesmo, em inglês) Brasileiro". Mas, quem lembra?

Como irmãos siameses que são, o futebol e a música popular durante quase todo o século XX, gingaram juntos. Os artistas da bola no pé dançando nos compassos do samba, jongo, frevo e maxixe, segundo Ari Barroso, compositor, locutor de futebol e flamenguista doente.

No time dos compositores, até Noel Rosa, que não era torcedor, fez citações ao futebol em "Conversa de Botequim" e "Mulher Indigesta". Entre os torcedores ardorosos, você tem Lamartine Babo que escreveu dois hinos para o seu Flamengo da paixão, e hinos também para quase todos os times brasileiros. Jorge Benjor, outro flamenguista, em homenagens a craques, com "Fio Maravilha" e "Camisa 10 da Gávea", esta para Zico, e ainda "País Tropical" e "O Zagueiro". Moraes Moreira em "Lá vem o Brasil descendo a ladeira"e "Saudades do Galinho", outra para Zico. Chico Buarque, fluminense roxo, jogando redondinho, todos os sábados no seu Politheama Futebol Club e em músicas como "O Futebol", "Deus lhe pague" e "Ninguém Segura este Rojão", três de uma lista enorme. Mané Garrincha, que foi casado com Elza Soares, não sambou só com a bola no pé: compôs "Receita de Balanço", e a amada gravou.

Vou passar rápido por algumas músicas que embalaram as Copas: "Voa, canarinho, voa", "Pra Frente Brasil", "A Taça do Mundo é Nossa", "Aqui é o País do Futebol", e " Marcha da Torcida Brasileira".

E vou usar a mais duradoura, a que é praticamente o hino do futebol brasileiro, "Na Cadência do Samba", composta por Luis Bandeira em 1956, para chegar a ligação do futebol com o cinema. Era com essa música, também conhecida como "Que Bonito É", que o Brasil assistia nos anos 50 e 60 nas grandes telas os melhores lances do campeonato da temporada no noticiário "Canal 100"de Carlos Niemayer. Noemi

Osna - www.cebrac.org