O mais tradicional desfile de carnaval de rua de São Paulo | Carnaval 2016 | 31/01/2016

vamo que vamo e pau na máquina.........!

Opa gente, maravilha?

Como um compartilhamento público, é o seguinte: alguns sabem, o show do Gui com a gente (Nando, Magu, Dudu, Gustavo, Mundão, Arruda e eu), no Circo Voador, RJ, Velha Guarda da Portela, Alcione, Almir Guineto etc e tal foi CANCELADO!

novo fim de semana sambístico...!

Este próximo fim de semana será o novo fim de semana sambístico do Bloco Amigos da Vila Mariana! A Roda do Hostel passou para o segundo domingo do mês, dia depois da grandiosa Roda da Praça...!

Há quase um ano acontecem ótimas rodas de samba no Hostel Casa Club, uma das parcerias do Bloco, que oferece condições para a realização de animadas e internacionais rodas de samba, e que a partir desse mês será no segundo domingo do mês (9/11) a partir das 18h - após o jogo!

O samba nos anos 60

Tem casa de bamba, tem batuque na cozinha, tem Zicartola; tem os festivais de música, tem televisão e tem dinheiro (pra quê?); tem censura, tem privação da liberdade, tem ditadura; tem resistência, tem opinião; tem criatividade e tem inspiração; tem alvorada, tem a voz do morro e tem a voz da cidade; tem gente a sorrir, gente a chorar e gente que dá a volta por cima; tem pintor, arquiteto e até zoólogo; tem heróis da liberdade; tem gente da antiga, tem gente nova; tem parcerias memoráveis, tem cadência e tem músicas inesquecíveis.
E o que mais tem nos anos sessenta? Não há dúvida, tem um dos períodos mais férteis da história da música popular brasileira.
por Gustavo Seraphim

Cartola tem 100 anos, e a Mangueira...!?

Opa gente, esse mês comemoramos o centenário do Cartola. Mas e a Mangueira, quantos anos tem...!? Vejam abaixo um texto sobre esse assunto...! E divirtam-se...!

+++

MANGUEIRA, 80 ANOS
Por Sérgio Gramático Júnior

Fundada em 1928, a Estação Primeira de Mangueira completa 80 anos em 2008. Entre os historiadores do samba, apenas Sérgio Cabral defende a versão de que a escola teria sido fundada em 28 de abril de 1929, e não em 1928. Em seu livro As Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lumiar, 1996), Cabral afirma ter encontrado no arquivo de Almirante os dois mais antigos documentos da Mangueira conservados, duas correspondências enviadas pela escola a Almirante, em janeiro e abril de 1939, tendo no timbre a data: "Fundado em 28 de abril de 1929".

Rodas de Samba pra quê...!?

Roda de samba é pra sambar...! As nossas, do Bloco Carnavalesco Amigos da Vila Mariana são pra tocar e beber também!

O samba nos anos 50

Reflexo das influências de ritmos e estéticas internacionais e do crescimento vertiginoso da indústria fonográfica, a década de 50 ficou conhecida por muitos como um período de decadência da música popular. A ruptura com as raízes que formavam nossa identidade musical era o principal argumento dos intelectuais conservadores que nessa época lançavam o movimento de resgate de um samba supostamente puro, mais próximo das raízes afro-baianas de tempero carioca. Purismo exacerbado que não reconhecia a música como uma expressão cultural viva e, portanto, passível de mudanças? Talvez. Fato é que o debate entre o tradicional e o moderno na cultura é amplo, controverso, se repete ao longo dos tempos, mas se faz necessário para buscarmos referências e pensarmos os rumos de nossa música. Assim, entre a tradição e a modernização, o samba respira, inspira, se renova, resiste e persiste de gerações em gerações.
por Gustavo Seraphim

De onde vem a inspiração!?

Em sua origem, uma pessoa está inspirada quando respira do mesmo ar dos deuses, fazendo a conexão com eles, transformando assim sua ação / produção em belo.

Ainda inspirado pelos "deuses" do filme O Mistério do Samba, vão três coisas sobre o assunto: um vídeo com João Nogueira cantando Minha Missão, dele e Paulo César Pinheiro, um texto de Renato Vivacqua chamado Inspiração ou Transpiração na Música Popular Brasileira? e uma música cantada por Ney Matogrosso com Pedo Luís e a Parede chamada Transpiração.

"...gente humilde, gente pobre que traz o samba nas veias, o samba que gente nobre"!

O Mistério do Samba (www.omisteriodosamba.com.br), filme produzido e roteirizado por Marisa Monte (e outros), mostra a velha guarda da Portela em seu cotidiano. O dia-a-dia mesmo, nas casas onde esse pessoal mora, os bares e locais que eles frequentam, as ruas pelas quais passam...! Apresentou o contexto sócio, cultural, espiritual, amoroso, musical, artístico, de trabalho, sambístico e outros que intervêm na vida deles! E na nossa também!

Fim de semana sambístico - Ago/08

Em agosto, teve mais um fim de semana sambístico com o Bloco Amigos da Vila Mariana agitando as Vilas Mariana e Madalena, mostrando um preparativo para a próxima Roda da Praça, dia 13/09 a partir das 15h no Largo Ana Rosa! Com direito a presença de "cariocas" e "portugueses" e prévias bacanas nos dois eventos, o sábado começou com a sinfonia de cuícas, agitada pelo Cardoso da Cuíca na Rua do Samba!

O samba nos anos 40

Aquarela do Brasil, Amélia, Brasileirinho, Zé Carioca, Falsa Baiana, O samba da minha terra. Diversas músicas, personagens e expressões que se eternizaram em nossas memórias como símbolos da cultura brasileira surgiram durante os anos 40. Nesse período a criação musical foi intensa, diversificada e bastante influenciada pelo cenário político nacional e mundial. As músicas, interpretadas por talentosos cantores, vertiam de compositores inspirados e apaixonados. Canções primorosas que retratavam o Brasil, seu povo e suas paixões chegavam a todos os cantos do país pelas ondas curtas do rádio. Assim nossa música cresceu, amadureceu, vislumbrou novos horizontes e cruzou fronteiras, e o samba, ritmo sincopado de compasso binário, outrora perseguido, foi devidamente reconhecido, passando de preterido a preferido, de marginalizado a identidade nacional.
por Gustavo Seraphim

Conteúdo sindicalizado